30.8.09

Leite de vaca e soja: dois mitos com pés de barro?

O Leite de vaca e a soja são dois alimentos que fazem parte da nossa dieta básica e quotidiana. Durante muitos anos o leite bovino tem sido apresentado como um produto quase milagroso (o cálcio!!!...) para a nossa saúde e bem-estar e, de alguns anos para cá, o mesmo vem acontecendo com a soja e os seus derivados, incluindo o cada vez mais popular leite de soja: Mais uma maravilha nutricional que surge nas nossas mesas!

Aqui no Tao não somos dados a teorias da conspiração. Mas é evidente, antes de mais considerações, quem mais ganha com esta aclamação geral: quem produz e quem vende. Sem juízos de valor por agora, é assim que é: ganha a economia. E será assim tão evidente, no entanto, quanto a todos nós, consumidores? Isto é, será assim tão evidente o mérito nutricional e energético destes dois alimentos?

O tema poderá não ser pacífico, mesmo entre especialistas, mas acreditamos que é essencial o acesso a toda a informação. E como estamos precisamente na era da informação e o leite de vaca e a soja já têm mais do que a sua quota de publicidade e aclamação, gostaríamos de partilhar aqui duas perspectivas diferentes em relação a estes produtos, que muitos de nós aceitam acriticamente como bons:

«O leite de vaca é um fluido insalubre, que contém uma gama ampla de substâncias inconvenientes. O seu consumo prolongado tem um efeito cumulativo prejudicial.

Com 59 hormonas activas, vários alérgeneos, gordura e colesterol, a maior parte produzida mostra ainda quantidades mensuráveis de herbicidas, pesticidas, dioxinas (até 2.200 vezes o nível aceitável), até 52 antibióticos poderosos, sangue, pus, fezes, bactérias e vírus. Pode conter resíduos de tudo o que a vaca come. Inclusive coisas como restos radiativos de testes nucleares.(...)»


«Hoje em dia existe uma verdadeira febre de consumo de soja. Propagada como um alimento rico em proteínas, baixo em calorias, carboidratos e gorduras, sem colesterol, rico em vitaminas, de fácil digestão, um ingrediente saboroso e versátil na culinária, a soja, na verdade é mais um "conto do vigário" do qual a maioria é vítima.


É bem verdade que a soja vem da Ásia, mais especificamente da China. Porém, os chineses só consumiam produtos FERMENTADOS de soja, como o shoyu e o missô. Por volta do século 2 A.C., os chineses descobriram um modo de cozinhar os grãos de soja, transfomá-los em um purê e precipitá-lo através de sais de magnésio e cálcio, formando o assim chamado "queijo de soja" ou tofu. O uso destes alimentos derivados de soja se espalhou pelo oriente, especialmente no Japão. O uso de "queijo de soja" como fonte de proteína data do século 8 da era cristã (Katz, Solomon H "Food and Biocultural Evolution A Model for the Investigation of Modern Nutritional Problems", Nutritional Anthropology, Alan R. Liss Inc., 1987 pág. 50).


Não é à toa que os antigos chineses não se alimentavam do grão de soja. Hoje a ciência sabe que ela contém uma série de substâncias que podem ser prejudiciais à saúde, e que recebem o nome de antinutrientes.(...)»


obrigado

Sem comentários: