27.4.17

Workshop: "Celebração de Beltane"

2 de Junho de 2017 no Tao

O mandamento da Deusa “todos os actos de amor e prazer são meus rituais”.

Este é o tema de Beltane. É a época do festival do fogo, fogo do amor, união, fertilidade, paixão, sensualidade, criatividade; é a união activa do masculino - Yang - e do feminino - Yin - em nós e no mundo, que revela a manifestação do máximo potencial. Beltane é a época de celebrar o casamento com o/a amante interior. Este é o momento em que natureza, luxuriante e vibrante de cor e energia, nos convida a ser como o FOGO: expansivos, quentes, autênticos, brilhantes, irradiantes, bravos!  Beltane é um tempo de celebração da união sagrada do masculino e do feminino dentro de nós mesmas e nos nossos relacionamentos. É o tempo da celebração da Vida, de Eros, da Sexualidade Sagrada, da expressão criativa.

Vamos conhecer e ativar os arquétipos do Deus do êxtase, animus da mulher e inspiração no homem: Dionisio, e da Deusa do Amor, Sexualidade e Beleza, a musa interna de mulheres e homens: Afrodite. Vamos ensinar algumas práticas físicas, energéticas e simbólicas que apoiam esta alquimia duma sexualidade sábia, ancestral herança da maravilhosa condição de Mulher. Com rituais, transe, meditação guiada.

 Vénus – Afrodite, a Deusa greco-romana do amor, paixão, beleza e criação, revela a faceta arquetípica da Amante, a rainha do Amor. é uma deusa alquímica, que inicia as mulheres nos mistérios do sangue menstrual, (desde as primeiras regras à menopausa). É alquímica porque o Amor é o maior agente de transformação, o grande Mago universal; esse Amor que é a Vida, e que nos cumpre receber e encontrar dentro de nós. Esse Amor que nos deve tornar inteiras, não metades, que nos ensina o caminho da máxima realização do nosso ser. Como amamos? Como queremos ser amadas?

Na antiga Roda do Ano nas tradições do hemisfério norte, celebra-se de 30 Abril para 1 Maio a festividade de Beltane. Beltane celebra o retorno do sol, o “renascimento” da Primavera e o começo da estação do plantio. Realizavam-se rituais em honra do poder de criação fertilizador do Divino Feminino e Masculino, o Casal Sagrado. Os antigos celebravam a Natureza com banquetes, jogos, poesia, cânticos e danças sagradas. A prodigalidade da Mãe Terra é cantada em Beltane, simbolizando a nossa abertura para o nosso próprio poder criativo e dador de Vida.

Milhares de anos de condicionamentos e repressões converteram a sexualidade feminina naquele que é talvez o seu aspecto mais vulnerável. Hoje, precisamos resgatar a sabedoria interna do nosso corpo e deixarmo-nos fluir com ela em vez de lutar contra ela., despertar para os nossos ciclos, utilizar criativamente o enorme poder vital da energia sexual, Eros. A mulher precisa saber usar esta energia para além da pro-criação, para a co-criação. Para tal, precisamos entrar verdadeiramente no nosso interior, nesse núcleo onde habita a centelha da Vida, a energia que fertiliza as criações do universo. A sexualidade e a psicologia feminina estão ligadas a estas tendências cíclicas que a deusa Lua marca com as suas fases, no corpo-alma da mulher. A sabedoria do útero fala a cada mulher e condu-la durante os ciclos, ao longo da sua vida, a fases de fertilização, criação, manifestação, retiro, introversão, sabedoria.

O arquétipo de Lilith representa globalmente a profunda e inata sabedoria sexual feminina; ela é um aspecto da serpente Kundalini, a força telúrica da Terra que cria livremente. Ela expressa-se livremente no desejo que emula a força da Vida num corpo feminino, como religação curadora e autêntica à matriz gozosa e criadora de beleza, no ventre da Mulher. Acredito que a repressão (e perseguição) milenar desta energia nas culturas patriarcais se tenha “congelado” no útero e nos ovários como regras dolorosas, miomas, quistos e feridas que reflectem o quanto nos afastámos da presença no nosso corpo, da sabedoria do útero, e da energia extraordinária e original de Lilith. A mulher precisa recuperar-se a si mesma e religar-se à sua matriz gozosa e à energia da Vida que a habita, curando as feridas de uma sexualidade pobre, agressora ou alienada da sua condição natural e sagrada.

Para ser plenamente humano, o homem precisa reanimar nele o seu lado yin (anima) e reeducar o seu masculino. Para ser plenamente inteira, a mulher precisa despertar e curar o seu lado yang /animus) e curar a divisão no seu feminino. Só assim, inteiros, podem ambos viver relações completas, estimulantes, manifestadoras do mistério feminino-masculino que nascemos para SER. O resgate dos Princípios Feminino e Masculino por mulheres e homens é a base do seu processo de individuação e das correctas relações humanas, que o nosso tempo tanto precisa!

Convido-te  a ousar expressar o que ainda não conseguiu, através deste trabalho cuidadosamente preparado para te surpreender!

Como diz Rumi «os amantes não se encontram finalmente um dia: eles sempre estiveram um no outro!»

Este Workshop é presencial, tem uma duração de 3 horas
Vagas limitadas.
Valor: 25€
Inscrições nos contactos habituais do Tao

OU INSCREVA-SE NOS 2 WORKSHOPS DA ANA AMEIXOEIRO E OBTENHA UM DESCONTO

"Pack" Energia de Desbloqueio para o AMOR 

Beltane (2 de junho) e Constelações Familiares (3 de Junho)

Pagamento até 10 de Maio - 65€
Pagamento até 23 de Maio - 70€
Pagamento até 30 Maio - 80€

Sem comentários: