23.4.10

O Yoga, o Vedanta, as modas e um festival em Aveiro

Muito bom, este artigo de Gustavo Cunha no incontornável site Yoga Vaidika:

«Nesses últimos dias interroguei-me se alguma vez o Vedānta gozará de uma procura e de um "estatuto" semelhante ao Yoga em Portugal, e no mundo. À vinte anos atrás o Yoga era praticamente desconhecido em terras lusas e hoje proliferam escolas de vários estilos de Yoga e adaptações contemporâneas como "Acqua Yoga", "Yogilates", "Yoga para grávidas", "Yoga para crianças" e "Yoga para a Terceira Idade", entre outras, sendo raro um ginásio ou academia de fitness não oferecer aulas de Yoga de entre as suas modalidades.

O mais peculiar é que muitas pessoas buscam no Yoga aquilo que o Vedānta oferece, o autoconhecimento, o que não é de estranhar porque Vedānta é Jñāna Yoga (Jñāna = conhecimento).

Sabemos que no Ocidente o Yoga é visto, muitas vezes, através de uma ótica distorcida devido à falta de informação ou à confusão generalizada provocada pelo aproveitamento de benefícios específicos em detrimento da sua proposta total. Assim, olha-se para o Yoga como um tipo de ginástica contorcionista oriental, meio espiritualizado e estranho, e os seus praticantes são tidos como seres algo esotéricos, com uma particular inclinação pelo uso de incenso aromático ou óleos essenciais, dotados de um gosto difícil de entender por tofu, conhecedores dos misteriosos cakras e, certamente, praticantes do sexo tântrico, que entoam sons místicos quando estão sentados e estáticos de olhos fechados em estados meditativos - algo que já alguém apelidou de "seita do Om".

Conversando com alguém que nunca tenha estado numa aula de Yoga ou que pratique Yoga num centro onde confluem práticas como reiki, cura prânica, leitura da aura, regressão, xamanismo ou "terapias alternativas" - e muito é fácil, hoje em dia, criar uma terapia nova, basta pegar num substantivo suficientemente atrativo e acrescentar o sufixo ou prefixo terapia. Não acredita? Vamos a isto: vinoterapia, chocolateterapia, arteterapia, terapia floral, etc - para se perceber que o interesse pelo Yoga existe e que essa palavra quase já faz parte do nosso léxico mas, na verdade, ninguém sabe muito bem o que é, como se faz, de onde vem, a quem se destina e qual o seu propósito.

Nos antigos textos sagrados da Índia o Yoga é referido como uma prática espiritual em que o indivíduo orienta a sua vida de acordo com um conjunto de valores éticos, como a verdade, honestidade, humildade, etc, que conduzem a ações meritórias rumo ao entendimento de si como pleno e não diferente em essência do outro, nem do Absoluto. Karma Yoga, Bhakti Yoga, Upāsanā Yoga e Jñāna Yoga são o Yoga visto sobre diferentes perspectivas mas sempre intrinsecamente ligados.(...)»


Continua aqui e vale a pena ler o resto.


Entretanto, em Aveiro:
Festival de Yoga 2010 já mexe

Por falar em Yoga, aproveitamos para informar os nossos leitores que já estão abertas inscrições para o Festival de Yoga Solstício de Verão, em Aveiro (mais exactamente no camping da Costa Nova). Este ano, o festival organizado pelo Jardim de Lótus é dedicado ao tema "O Brilho da Transformação" e à celebração do "Tattva do Fogo". Será de 25 a 27 de Junho. Saiba tudo clicando aqui.

Sem comentários: