28.8.07

PARTO NATURAL - WORKSHOP

Resgatando o parto natural

WORKSHOP
29 de Setembro de 2007 das 14h30 às 19h00

Os desenvolvimentos que foram acontecendo, em especial a partir da segunda metade do século passado e em particular na área da saúde, e que nos acompanham na actualidade, têm sido colocados à disposição do ser humano no sentido de dar respostas a algumas das suas necessidades. Verifica-se, contudo, que todos estes recursos têm vindo a ser utilizados de forma indiscriminada, traduzindo muitas das vezes modificações do comportamento humano.

O parto tem sido dos exemplos mais paradigmáticos do quanto o recurso à tecnologia e ao medicamento foi modificado na sua essência. De um processo natural e humano, foi transformado em processo patológico que necessita de internamentos, medicamentos e actos médicos complicadíssimos.

O resgate do parto como evento natural e humano impõe-se hoje à alternativa do parto medicalizado e intervencionado no sentido de devolver à mulher o protagonismo deste evento e o poder do momento.

Objectivos do Workshop:

  • Conhecer as diferentes perspectivas do parto nos nossos dias;
  • Obter informações sobre o parto nos nossos dias;
  • Conhecer quais as ajudas que se pode ter na assistência ao parto;
  • Conhecer as vantagens para a mulher, família e sociedade do parto natural;
  • Desmistificar tabus e mitos sobre o parto;
  • Conhecer métodos de alívio da dor no parto natural;
  • Conhecer diferentes formas de parto no parto natural;

Destinatários:

Grávidas, casais que pretendam engravidar, mulheres em geral

Intervenientes:

António Manuel Rodrigues Ferreira – Enfermeiro especialista em Saúde Materna e Obstétrica a trabalhar no Bloco de Partos de uma maternidade Central e, como professor convidado, no Instituto Superior Jean Piaget de Viseu na Escola Superior de Saúde. Mestrado em Ciências da Enfermagem, Pós-graduação em Pedagogia da Saúde, Pós-graduação em Administração de Serviços de Saúde, Formação de Formador, Formação/Formador em Aleitamento Materno.

Aleksandra Berg – Antropóloga da Cultura especializada em antropologia da Saúde. Ainda durante os estudos, integrou a equipa do European Environment Centre, em Varsóvia, ONG dedicada à sensibilização ambiental a nível europeu. Em 2001, numa parceria com a associação Quercus, viajou para Portugal, onde desenvolveu o projecto de voluntariado europeu “Pensam que é por milagre – Usos da Natureza na Cultura Popular das Beiras”. Foi bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) no projecto de investigação “Vivências de Saúde e Bem-Estar” na Universidade Aberta, que incidiu sobre os hábitos de vida e as suas implicações na saúde.

Cristina Pires de Silva – Doula da Associação de Doulas de Portugal, engenheira civil de formação académica. Delegada distrital da HUMPAR (Associação Portuguesa de Humanização do Parto) do distruito de Coimbra. Fez formação de Doula pela associação de Doulas de Portugal e pela DONA International (Doulas of North América). Como Doula, oferece apoio emocional, informativo e físico a mulheres na gravidez, parto e no pós-parto. Autora do blog “Sobre(viver) a Cesariana” É autora do blog “Sobre(viver) a Cesariana” (http://sobcesaria.blogspot.com/) que trata de questões sobre humanização do nascimento e colabora no blog da Associação de Doulas de Portugal (http://doulasdeportugal.blogspot.com/). Criou um fórum de apoio direccionado especialmente para mulheres submetidas à cesariana e grávidas. É mãe de um menino com 2 anos e é engenheira civil de formação académica.

Mary Zwart - Parteira Holandesa. Graduada pela "Amsterdam Midwifery School" em 1969. Recebeu formação de enfermagem no Leiden Academic Hospital. Exerceu a profissão de forma liberal de 1973 até 1996. Desde 2000 que participa num movimento pela humanização do nascimento no Brasil. É fundadora da European Perinatal School assim como é membro da European Network of Consumers and Childbirth Educators and the Coalition for Improving Materity Services. Mary gosta de ensinar obstetrícia internacionalmente e recentemente voltou a exercer a profissão de parteira. Tem uma filha e gosta de coleccionar objectos obstétricos.

Inscrições até 26 de Setembro:

91 423 80 10
tao.centro@gmail.com

Preço por pessoa: 25 euros
Preço por casal: 40 euros

(50% no acto de inscrição)

DANÇA DO VENTRE COM NAADIRAH

Dança do Ventre com Nova Professora
e Novos Horári
os

A Dança do Ventre regressa renovada à actividade após as férias, agora em horário nocturno

Naadirah é a nova professora do Centro Tao e as aulas passarão a ser às:

Segundas-feiras das 21h30 às 23h30

As origens da dança do ventre perdem-se no tempo. Alguns historiadores apontam entre 7.000 e 5.000 antes de Cristo. Acredita-se que era praticada nas antigas civilizações como a Suméria, Acádia, babilónica e egípcia. No Egipto a dança era realizada por sacerdotisas treinadas desde meninas para servirem como canal da deusa nos rituais religiosos.

A dança do ventre era realizada apenas em templos, mas com o passar do tempo começou a fazer parte de grandes solenidades públicas nos palácios, o que fez com que ela se popularizasse. Com a invasão árabe muçulmana no século VII, ocorreu uma mistura de culturas e a dança espalhou-se pelo resto do mundo, através dos viajantes e mercadores.

A dança do ventre sempre foi uma celebração à vida. Os seus movimentos são inspirados nos animais, como camelos e cobras; nos quatro elementos, terra, fogo, água e ar; e em toda a natureza. A mulher, que é a faraute desta arte milenar, deve transmiti-la com amor e respeito

  • Desenvolve a auto-estima;
  • Estimula a memória, a concentração e a atenção;
  • Aumenta a confiança no seu potencial individual;
  • Resgata a feminilidade;
  • Activa a circulação, aumenta os reflexos e alivia as tensões;
  • Aumenta a flexibilidade e alongamento;
  • Auxilia em problemas menstruais, hormonais e partos, diminuindo cólicas, equilibrando as funções sexuais e facilitando contracções e dilatações;
  • Trabalha músculos, enrijecendo e tonificando;
  • Actua directamente no centro de energia do corpo, que se encontra no ventre, distribuindo a mesma de forma equilibrada.

INSCRIÇÕES ABERTAS